Arquivo do mês: março 2008

Infohound Color Schemer

pagina.jpg 

 

Paleta de cores Infohound 

Esta paleta de cores é uma ferramenta simples para ajudá-lo a experimentar vários esquemas de cores para seu próximo projeto de web ou de impressão. Clique na caixa sombreada para ajustar a saturação e o brilho, ou no arco-íris para ajustar o matiz. Você pode também digitar um valor específico diretamente em uma das caixas. 
As combinações de cores serão automaticamente escolhidas. Você pode clicar sobre uma delas para configurá-la como cor primária.

7 Comentários

Arquivado em ferramentas, internet

Pela Internet…

Pela Internet
Gilberto Gil

Criar meu web site
Fazer minha home-page
Com quantos gigabytes
Se faz uma jangada
Um barco que veleje …(2x)
Que veleje nesse infomar
Que aproveite a vazante
Da infomaré
Que leve um oriki
Do meu velho orixá
Ao pôrto de um disquete
De um micro em Taipé…
Um barco que veleje
Nesse infomar
Que aproveite a vazante
Da infomaré
Que leve meu e-mail lá
Até Calcutá
Depois de um hot-link
Num site de Helsinque
Para abastecer
Aihê! Aihê! Aihê!…
Eu quero entrar na rede
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tiétes
De Connecticut
Eu quero tá na rêde
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tiétes
De Connecticut…

“Somos educadores do século XX, com metodologias do século XIX, que ensinam a alunos do século XXI” – José Ignácio Pozo

Se por um lado temos alunos que conhecem mais sobre tecnologias do que muitos professores, por outro, ainda há professores que insistem em não se adaptar às mudanças que a sociedade da informação exige. Não é preciso ir longe,basta fazer uma rápida pesquisa em qualquer escola: Quantos professores utilizam o computador e a internet para preparação de aulas? Quantos usam o correio eletrônico? Quantos estão inseridos em alguma comunidade virtual, participam de algum grupo de discussão, mantém um blog ou têm sua própria home page?
A realidade é que muitos professores nem computador têm! Políticas públicas que facilitem o acesso e a aquisição de computadores pelos professores e cursos de capacitação continuada são necessários, se pretendemos que as escolas preparem seus alunos para a vida numa sociedade cada vez mais globalizada.

7 Comentários

Arquivado em educação, internet, Rascunhando, tecnologias

Beleza virtual

 

 Ferramenta de maquiagem gratuita cria salão de beleza virtual

Cientistas da computação da Universidade de San Diego, nos Estados Unidos, lançaram uma ferramenta gratuita na internet que permite que qualquer pessoa experimente inúmeras formas de maquiagem e penteado sem ter que ir ao salão de beleza. Leia mais

 

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Internet na escola

A Internet na escola tem sua primeira utilização como fonte de pesquisa, mas as redes de comunicação estão mudando este paradigma e novos ambientes surgem, modificando e ampliando o processo de ensino aprendizagem deixando de ser apenas repositório de informação, potencializando as relações sociais, a comunicação e a colaboração, permitindo a autoria e co-autoria por alunos e professores, a troca de informação e o desenvolvimento da autonomia.
Os chamados softwares sociais como os blogs, wikis, editores de textos on line, podcasts, sites onde se pode publicar e compartilhar vídeos e imagens são exemplos destes aplicativos disponibilizados gratuitamente e que, a princípio, não foram concebidos para uso pedagógico, mas que podem ser utilizados pelos professores em projetos escolares.

Graças à Internet, o acesso à informação e à comunicação ocorrem de maneira rápida e custo cada vez mais baixo. Os jovens de hoje estão mais atualizados, informados e interessados nos avanços tecnológicos. A escola não pode ficar à margem desta realidade, repetindo apenas os modelos tradicionais de transmissão de conteúdos. Os trabalhos colaborativos em ambientes virtuais podem tornar o processo educacional mais dinâmico e eficaz, possibilitando ao aluno traçar seu próprio caminho de aprendizagem através da interação com estudantes de outras localidades, uma vez que sua produção está à disposição de todos, acessível a qualquer momento e em qualquer parte do planeta.

 

fonte da imagem: http://visualrevenue.com

Deixe um comentário

Arquivado em internet, Rascunhando

A linguagem televisiva

  Aos poucos vou publicando aqui algumas reflexões que estou fazendo durante  o curso Mídias e Educação.

 

 
 

“Televisão é serviço público, é instrumento de educação popular, como também o rádio. As imagens da TV e as ondas do rádio não pedem licença para entrar em nossas casas.  São invasoras. Podem falar aos filhos, sem o consentimento dos pais, inclusive quando os pais não estão em casa.”  João Baptista Herkenhoff  ( livre-docente da Universidade Federal do Espírito Santo, membro emérito da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Vitória e escritor)

Sabemos que modelo predominante de financiamento dos programas televisivos é o comercial. A  programação tem como objetivo principal vender produtos. O merchandising aparece embutido em todos os programas, sejam infantis ou adultos, desde os péssimos programas de auditórios às telenovelas. A televisão de uma maneira geral instiga ao consumismo e supervaloriza a violência. Basta observarmos os telejornais, por exemplo. Qual a porcentagem de notícias negativas e positivas que são apresentadas diariamente? Invariavelmente as manchetes referem-se às notícias negativas, ficando apenas algum assunto positivo para o encerramento. Será que é só isso que se pode apresentar nos noticiários? Por que não mostrar mais coisas relevantes e  conteúdos que valorizem as boas iniciativas? No que se refere à educação, é infinitamente maior o número de notícias pejorativas e de denúncias, do que a apresentação de boas práticas e exemplos enriquecedores espalhados por toda a nação. A quem interessa supervalorizar  as mazelas de nosso país?

Nós, professores, temos nas mãos a oportunidade e também a  responsabilidade  de estimular a reflexão sobre a qualidade das informações da  programação da televisão com nossos alunos e também estender esses questionamentos aos pais para que desenvolvam uma visão crítica em relação à televisão e, assim, ajudá-los a selecionar com mais critérios o que estão assistindo. A escola deve estimular os alunos a  assistirem a   programas de  melhor qualidade e desenvolver atividades  que sejam incorporadas aos conteúdos curriculares.

Sabemos que as TVs por assinatura apresentam programas de melhor qualidade, infelizmente restritos a uma pequena faixa da população de maior poder aquisitivo, sendo assim, excludente. O que é um contra-senso, pois é justamente a população que tem menor acesso à leitura de jornais e revistas que deveria ser beneficiada por esse tipo de programação.
Porém, mesmo nos canais fechados não existe a preocupação da seleção de conteúdos apropriados às faixas etárias. Vejam esta  matéria da Folha Online:

Canais pagos exibem sexo e violência às 7h, diz Daniel Castro

Redação
Folha Online

Levantamento feito pela Folha revela que pelo menos 45 filmes impróprios para menores de 16 e 18 anos foram ou serão transmitidos entre 6h e 22h ao longo deste mês, informa nesta segunda-feira (25) a coluna Outro Canal, de Daniel Castro. Na TV aberta, títulos não recomendados para menores de 16 anos só podem ir ao ar após as 22h. A TV paga não é obrigada a cumprir essa norma, mas tem de informar a classificação. O levantamento foi feito sobre lista de 2.121 filmes do guia da Net neste mês. Um exemplo é o filme Com o Pé na Estrada, impróprio para menores de 18, que passou no Telecine Premium às 6h35 do dia 18. Na resenha, há a descrição de que três rapazes vivem situações hilárias com duas lindas caronistas, segundo a coluna. A Rede Telecine informou que segue as regulamentações para a TV por assinatura, segundo a Outro Canal.

   FONTE: FNDC
   DATA: 26/02/2008 
 
 

fonte da imagem:http://rafaelaemcaldas.wordpress.com

3 Comentários

Arquivado em educação, mídias, Rascunhando

Aprenda a ter uma boa reputação na web

Nos dias atuais a busca por um emprego não se limita apenas ao currículo de uma pessoa. Sistemas de busca e redes sociais ampliaram as formas como um empregador pode saber mais sobre seu futuro empregado. É exatamente por isto que é muito importante ter um histórico limpo e rico na web. O site Marketing Pilgrim fez uma lista de dicas para você ter uma boa reputação na Internet.

1) Tenha seu próprio site
Mesmo que seja de provedores que dêem espaço gratuito, tenha um site próprio. O melhor mesmo é comprar um domínio com seu nome ou o da sua empresa. É uma ótima forma de ter seu nome lista entre os 10 primeiros em sites de busca.

2) Faça um blog
Se você cuidar bem do seu blog, ele vai ser uma ótima forma de analisar sua reputação em termos de gerenciamento. Mas o legal de ter um blog é que ele normalmente aparece bem em sites de busca mesmo se esquecido. Existem vários sites online que oferecem gratuitamente espaço para blogs. Não esqueça de mencionar seu nome, para que seja encontrado em sites de busca.

3) Tenha subdomínios
Se você se esforçou bastante para manter seu site, existem boas chances de criar subdomínios. Crie o fotos.meusite.com.br ou o video.meusite.com.br. Existem dezenas de razões para ter subdomínios e eles são ótimos para a organização do site.

4) Faça perfis em redes sociais
Perfis em redes sociais podem ser uma boa forma de um cliente ou empregador saber quem você. Use seu nome real, apelidos atrapalharão na sua localização. Várias redes listam o seu perfil em sites de busca.

5) Crie uma rede social
Se perfis em redes sociais já dão uma boa reputação, imagina ter uma rede inteira. Existem sites, como o Ning.com, onde é possível criar uma rede social própria e customizada por um baixo custo.

6) Crie um perfil profissional
Sites com perfis profissionais, como o LinkedIn, são muito importantes. Nestes tipos de site você detalha sua experiência profissional e mostra seus contatos e sua relação com eles.

7) Compartilhe suas fotos
Utilize fotologs que sejam listados em sites de busca. Publique suas fotos, imagens de sua empresa, logotipos, exemplos de trabalho, mas sempre citando seu nome. Faça comentários explicativos e espere os frutos.

8) Preserve sua identidade
Existem sites que linkam o seu nome ao que é seu, como o Naymz.com. Ele impede que você seja confundido com outras pessoas o mesmo nome, além de agrupar perfis em vários sites.

9) Crie seu próprio Wiki
Se você está enfrentando problemas de reputação na rede, pode ser uma boa idéia criar um sistema de Wiki. Fazer um perfil na Wikipedia e se descrever não é uma boa porque eles são rígidos, e se você tentar encobrir coisas erradas que fez, vai acabar aparecendo no perfil. O site wetpaint.com ajuda na criação de Wikis.

Com estas dicas é possível fazer uma boa reputação em sites de busca e, quem sabe, conseguir um bom emprego ou contrato com algum cliente.

Redação Terra: http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI2043212-EI4804,00.html

1 comentário

Arquivado em internet

Sobre mídias e tecnologias

Utilizamos tantas tecnologias em nosso dia-a-dia que muitas vezes nem nos damos conta do quanto estão presentes e facilitando nossa vida. Vamos incorporando seu uso automaticamente todo o tempo, seja em casa, no trabalho ou no lazer.
Os meios de comunicação de massa como a TV, o jornal e o rádio disponibilizam a informação de forma unilateral e, muitas vezes tendenciosa, atendendo a interesses políticos e/ou capitalistas. Não há participação dos receptores na programação ou conteúdo.
Com o surgimento a internet, este cenário se transforma, uma vez que o usuário tem a possibilidade de interagir, comunicar-se e também produzir conteúdos e publicá-los na rede. A utilização do correio eletrônico permite a comunicação rápida, as listas de discussão criam verdadeiras comunidades de aprendizagem reunindo pessoas com interesses comuns para a troca de informações e ajuda mútua. Os usuários podem criar seus próprios grupos e fóruns . Novas redes sociais surgem diariamente. Os sites de relacionamento não são utilizados apenas como entretenimento, mas também como uma opção a mais para encontrar parceiros de trabalho ou estudo. Os cursos EAD proporcionam a comunicação com pessoas de diferentes locais através de atividades e comunicação síncrona e assíncrona, além da comodidade de se poder estudar em locais e horários mais convenientes para cada usuário. Através da web novas formas de comunicação e distribuição de conteúdo estão disponíveis de forma muito mais democrática, sites como o YouTube permitem a divulgação de vídeos produzidos pelos usuários, assim como as rádios web através dos podcasts. Blogs, fotologs e videologs inicialmente utilizados pelos adolescentes como diários virtuais, publicação de fotos e vídeos para compartilhamento com amigos virtuais ou não, são agora ferramentas de comunicação e interatividade utilizadas por jornalistas, escritores, empresas. Na educação são recursos que ainda não são muito explorados pelos professores, mas de grande potencial educacional se utilizados de forma contextualizada e com objetivos bem definidos.

imagem em: http://www.cambridgenetwork.co.uk/

5 Comentários

Arquivado em Rascunhando