Arquivo da categoria: professor

Formação continuada docente – relato de uma experiência

Falar sobre formação continuada de professores é sempre um desafio. Embora existam opiniões divergentes sobre como ela deva acontecer, uma coisa é certa: a formação superior não é suficiente para preparar um professor, pois esta construção se faz na prática e na reflexão sobre a prática, como nos alerta Paulo Freire. Este profissional, como todos os outros, precisa de atualização constante ao longo de sua carreira. Os cursos são importantes e necessários pois, de certa forma, suprem as deficiências da formação inicial e permitem que os professores troquem experiências com outros educadores desenvolvendo, assim, a aprendizagem ao longo da vida de forma colaborativa.

O ideal é que sejam ofertadas oportunidades de formação constantes e não apenas pontuais, de modo que os professores possam aplicar na escola o que vivenciam nos cursos e que tenham a oportunidade de relatar suas experiências e refletir sobre elas. A reflexão sobre a prática é parte essencial do processo de formação. Em se tratando de cursos sobre a utilização das NTICs, se esta reflexão não existir, corremos o risco de apenas instrumentalizar os professores sem que estes encontrem significado no que “aprendem” nas formações e não havendo, portanto, qualquer mudança em sua prática docente.

A experiência que vou relatar aqui como formadora foi vivenciada por mim, este ano, e foi muito gratificante pelos resultados que pude acompanhar através dos relatos dos professores durante os encontros presenciais e também através de seus portfólios virtuais, construídos durante o curso “Tecnologias na Educação: Ensinando e Aprendendo com as TIC”. Foram duas turmas de 40 cursistas compostas por professores de sala informatizada, supervisores, professores de educação infantil, fundamental I e  fundamental II. Ilustro meu relato com falas dos professores que retirei dos fóruns, portfólios e avaliações do curso, pois é na voz deles que ecoa esta experiência.

“Durante o curso, além da aprendizagem de novos recursos, foi possível também fazer uma reflexão sobre a minha prática pedagógica, pensei em tantas coisas que nunca havia parado para pensar. Esse conjunto de aprendizado e reflexão, foi um estímulo para que eu melhore cada vez mais o meu trabalho com os alunos, então isso foi muito gratificante para mim.” Ana Carine

“Este curso me surpreendeu: sempre fiquei apreensiva com EAD, pois era algo que nunca havia participado. Gostei muito pois com nossas correrias o ensino a distância facilita e muito o aprendizado. O material utilizado é excelente pois gera uma reflexão que nós precisamos como professores cotidianamente fazer: pensar e repensar nossas ações! Desta forma, o curso e a professora sempre desafiaram nossas ações, e é isto que nós devemos receber: apoio, incentivo para nossas aulas.” Franciele

“Nestes encontros não me senti aluna, mas aprendente. Foi uma sensação de aprendizagem muito diferente, interessante! Fui presente, perguntei, busquei e me superei porque esta é uma área que me serve muito como ferramenta básica (digitar provas, fazer PPTs, etc.), mas, até a participação no curso, não me impulsionava a novas buscas. Essa foi uma grande conquista!” Nélia

O curso de 100 horas é ofertado na modalidade semipresencial, durante quatro meses, e faz parte do programa Proinfo Integrado. Este tempo permitiu uma convivência que foi se estreitando ao longo do curso, fazendo com que a interação entre os participantes se aprofundasse. Os encontros presencias aconteceram quinzenalmente. Em cada oficina apresentei uma nova ferramenta que não consta do conteúdo do curso e que foi explorada e aplicada com os alunos, na escola.

Embora os principais conteúdos do curso já estejam definidos, o formador tem liberdade para atualizar, acrescentar ou aprofundar temas de estudo para sejam trabalhados conforme o perfil de cada turma. O ambiente online normalmente utilizado nestes cursos é o e-Proinfo, no entanto, optei por criar um AVA próprio utilizando um blog colaborativo com acesso restrito. Trabalho com blogs desde 2004 e, para mim, é uma ferramenta bastante flexível e que permite a incorporação de vídeos, áudios, sala de chat, fóruns, postagens individuais e coletivas, acesso ao material online do curso, além dos conteúdos e atividades realizadas durante os encontros presenciais.

blog

Para cada módulo criei um fórum de discussão onde os cursistas interagiam durante as semanas de estudos online. Para a maioria dos professores estas atividades foram novidade; tanto o estudo individual a distância, como a troca de ideias através de um ambiente virtual. Os fóruns tinham como tema de partida o assunto principal de cada módulo, mas abriam a discussão para questões práticas vivenciadas na escola e dúvidas sobre as atividades a serem desenvolvidas.

“Os fóruns eram muito instigantes e nos fizeram refletir sobre nossa prática, então você ao mesmo tempo que aprendia, fazia uma avaliação da sua prática e isto me deixou muito incomodada…percebi que preciso mudar e melhorar muito ainda minhas aulas para tornar meus alunos mais autores de sua aprendizagem.” Nádia

“A interação com os demais cursistas também proporcionou a cada encontro novas descobertas e mesmo a distância, lendo as discussões nos fóruns, nas dúvidas e na troca de e-mails cada vez mais todos aprendiam.” Ilma

“Gostei muito dos fóruns, surgiram muitas discussões e com isso o aprendizado ficou mais significativo.” Antonia

A discussão escrita ainda é um desafio para muitos, a maioria prefere a conversa face a face durante os encontros presenciais. A organização do tempo também é um grande desafio nos cursos a distância e a participação nos fóruns, muitas vezes, acaba sendo deixada para a última hora. Este também foi um importante aprendizado construído ao longo do curso. Por isso, procurei iniciar cada encontro presencial com uma discussão sobre os temas dos fóruns e um espaço de tempo para uma revisita e novas interações com os colegas.

Quanto aos conteúdos de estudo propostos pelo curso elegi dois como de aplicação “obrigatória” para que os professores pudessem vivenciar estas metodologias com seus alunos avaliar seus resultados: Mapa Conceitual e WebQuest. A maioria dos professores afirmou já conhecer e utilizar mapas conceituais em suas aulas, no entanto, este uso normalmente é apenas ilustrativo, os mapas já vem elaborados nos livros didáticos. Os alunos não são estimulados a construírem seus mapas. Este foi o primeiro desafio prático proposto aos professores. Depois de estudarem sobre o tema e exercitarem a elaboração de Mapas Conceituais utilizando o software CMAP TOOLS, planejaram e aplicaram com seus alunos. Alguns não conseguiram instalar o software na escola e adaptaram utilizando as ferramentas de desenho do editor de texto ou outro programa. Os professores registraram cada etapa de aplicação da metodologia de Mapas Conceituais com sua turma. Os relatos mostraram o envolvimento dos alunos durante as atividades e um maior entendimento do assunto de estudo, segundo a observação dos cursistas.

aluno aluno2

Em relação à WebQuest tive uma grande surpresa ao constatar que de cada grupo de 35 professores, apenas dois já conheciam esta metodologia e só uma professora já havia elaborado e aplicado com os alunos. O curso apresenta o assunto de forma muito rápida e superficial, por isso, dediquei um tempo especial ao tema pesquisa escolar com várias leituras, pesquisas e reflexões sobre o papel do professor como orientador deste processo de aprendizagem. Os professores elaboraram as WebQuests usando o editor de apresentações do Google Docs, mais uma ferramenta que foi bastante explorada durante o curso, assim como o editor de texto para a construção de um hipertexto colaborativo e o uso do formulário como atividade didática. Depois de prontas, as WebQuests foram incorporadas aos blogs/portfólios para serem trabalhadas na escola.

“Através da pesquisa e da procura por ideias para elaborar a minha WebQuest percebi o quanto essa ferramenta já é utilizada e o quanto pode facilitar o trabalho dos professores! Por ficar disponível na rede, a minha WebQuest pode também ser utilizada por outro professor e isso é uma maneira de dissipar boas ideias e de facilitar a troca!

“Propor uma atividade numa WebQuest além de ser uma maneira de integrar os alunos com as TIC’s permite que eles possam acessar as atividades / tarefas a serem feitas de onde quer que estejam, ou seja, o trabalho pode ser iniciado na escola e os alunos podem dar continuidade a ele de casa, retomando as tarefas, ampliando sua pesquisa, tendo mais tempo para realizá-la se assim desejarem! Acredito que oportunizar a pesquisa significativa em busca de informações relevantes para ter como resultado a produção de um trabalho próprio (que foge dos trabalhos comuns de pesquisa Ctrl C x Ctrl V) é um desafio que vale a pena encarar!” Critiane

“Comecei a aplicar a WebQuest com minha turma, percebi que com essa ferramenta tirei as dúvidas e os anseios que surgem durante a explicação de um trabalho. Os alunos saem de um ponto sabendo onde chegar e que caminhos devem percorrer. Não ficam perdidos apenas por pesquisar porque o professor pediu, pelo contrário, eles são envolvidos numa missão e é na tentativa de cumpri-la que aprendem.” Maristela

“Foi a primeira vez que trabalhei com WebQuest e os alunos me surpreenderam. A participação foi ótima, a professora de sala deles é bem comprometida e abraçou a ideia. Além do tema que ela mesma propôs, pois já estava sendo explorado em sala, ainda desafiou a turma a trabalhar com outros assuntos abordados nas aulas formando mapas conceituais. Construímos assim, uma nova forma de estudar, de aprender, de organizar os conceitos e conteúdos, pois além de ficar mais claro, fica menos extenso e cansativo. Foi atrativo a eles, todos conseguiram realizar e pediram para fazer mais vezes. Gratificante para mim e para a professora Marisa! “ Denize

A construção do blog foi uma das atividades que os cursistas mais aguardavam. Aqueles que são professores de Sala Informatizada normalmente são responsáveis pela manutenção do blog da escola, mas poucos professores tinham seu blog pessoal, um portfólio onde pudessem publicar as atividades e projetos que realizam na escola e ainda utilizá-lo como recurso pedagógico para trabalhar com seus alunos.

“Em relação ao blog sinto por não ter aprendido a utilizá-lo antes, é uma ferramenta FANTÁSTICA! Ainda a estou descobrindo, porém o que já aprendi me auxiliou muito durante as minhas aulas e meus alunos adoraram visitá-lo.” Tatiane

“Não posso deixar de comentar sobre como achei importante a criação de um blog para cada cursista. Pois os alunos adoram realizar as atividades no blog ou olhar as fotos, comentários e atividades que eles realizaram e os pais dos meus alunos também acessam em casa para conferir as postagens.” Maisi

“Criar um blog e poder compartilhar com meus alunos trabalhos práticos e usando uma ferramenta diferente que chama a atenção deles e a minha também claro é fantástico, estou muito feliz!” Cristiane

“Me realizei quando criei o meu Blog, fiquei muito entusiasmada, pois agora posso compartilhar minhas atividades e relatos daquilo que realizo com meus alunos, atividades as quais ficavam entre quatro paredes, na sala de aula.” Tânia

Os temas de estudo e ferramentas exploradas durante os encontros presenciais foram descritos com mais detalhe nesta postagem, por isso, não vou me alongar aqui.

Ao finalizar o curso “Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC” com duas turmas de professores durante este ano, fica em mim a certeza de que os cursos de formação continuada são importantes instrumentos não apenas de atualização, mas também de motivação e de valorização docente. Os professores sentem-se mais seguros e percebem o quanto ainda há para aprender e que as tecnologias não são meras distribuidoras de conteúdo, mas sim, ferramentas que educadores e alunos podem se apropriar para construir conhecimentos, compartilhar descobertas e dúvidas e buscar a solução de problemas.

“Chegando no final do curso, minha avaliação geral é: tenho outra visão do uso das mídias e internet com os alunos, pois vejo o quanto será possível transformar nossas aulas e abrir um mundo novo para nossos alunos, estimulando-os a serem participantes na construção do seu processo de aprendizagem e não somente receptores de informações” Denize

“Aprendi muita coisa nova neste curso e sei que ainda tenho muito a aprender, que ainda tropeço em muitas coisas, mas agora já tenho um novo olhar no que se refere as novas tecnologias, um olhar curioso, interessado e atento” Valdirene

“Quando surgiu a oportunidade de participar do EAD fiquei mais aliviada, porque vi nesse curso a grande oportunidade de aprendizagem. Todas as tarefas que apliquei com os meus alunos foram produtivas. Vi neles o entusiasmo para a execução das atividades propostas e a minha satisfação pessoal por poder proporcionar um novo desafio.” Lenira

“Este curso me fez refletir sobre minha prática pedagógica, a forma que eu elaborava meus planejamentos e pensava que conseguiria alcançar meus objetivos, ficava frustrada por meus alunos não aprenderem o que eu planejava, hoje vejo o quanto estava acomodada, hoje tenho ideias que até eu me assusto e penso, será que vou conseguir? Estamos em uma era digital, acompanhar os nossos alunos é um desafio enorme.” Cristiane

Todas as avaliações dos professores podem ser lidas aqui e aqui.

As novas tecnologias e as mídias online possibilitam, por meio de uma formação continuada aos professores, acesso ao conhecimento para inserir em suas práticas pedagógicas a pesquisa e a construção do conhecimento em rede. É preciso, portanto, que se invista mais na formação continuada dos professores, estimulando-os a utilizarem metodologias inovadoras que diminuam a rigidez das aulas e que permitam que a escola acompanhe a evolução tecnológica da sociedade inserida na era da informação.

Sobre a autora: Gládis Leal dos Santos, professora, graduada em Letras pela UNIVILLE – Universidade da Região de Joinville, especialista em Língua Portuguesa e em Mídias na Educação. Atuou como professora de Sala Informatizada na Rede Municipal de Ensino de Joinville, como supervisora de Tecnologias na Educação com especial atuação na formação docente para o uso das NTIC e como tutora de cursos a distância do Portal Educarede e SOCIESC . Atuou também como tutora presencial da 6ª  oferta da especialização em Mídias na Educação pela FURG. Seu projeto Palavra Aberta-intercâmbio de ideias no ciberespaço foi o vencedor do Concurso Internacional Educarede – 2007 na categoria Uso da Internet – Ensino Fundamental 2.

Blogs: http://professoragladis.blog.br
http://of2edu.blogspot.com.br
Twitter: @gladislsantos

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em educação, professor, Rascunhando, tecnologias

Avaliação do curso “Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC” – turma 2

Queridos professores,

Hoje, finalizamos o curso “Tecnologias na Educação: ensinando e prendendo com as TIC” e chegamos ao final de mais uma etapa de aprendizagem de integração das tecnologias da informação e da comunicação à prática pedagógica. Mais importantes do que os recursos explorados durante nossos encontros presenciais foram as reflexões que fizemos, as ideias que trocamos, as inquietações e dúvidas que nos perturbaram fazendo com que saíssemos da zona de conforto para enfrentarmos novos desafios.

Através dos blogs/portfólios construídos no curso pude acompanhar a aplicação das metodologias de Mapas Conceituais e WebQuests e testemunhar o empenho de cada um e o envolvimento dos alunos. É com grande satisfação que encerro este curso sabendo que uma pequena semente foi plantada e que será regada por cada um de vocês.

Deixo a cada um meu abraço e convido-os a utilizarem o sistema de comentário abaixo para uma avaliação do curso considerando aspectos como material de estudo, formato do curso, metodologia, recursos estudados, atividades realizadas na escola, reflexões sobre sua prática a partir do curso e o que mais desejarem acrescentar.

36 Comentários

Arquivado em educação, internet, mídias, professor, tecnologias

4ª Simpósio Hipertexto 2012 – eu fui

Entre os dia 13 e 15 de novembro,aconteceu a 4ª edição do Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação na UFPE, em Recife. Uma grande estrutura foi montada para o evento que reuniu educadores dos quatro cantos do país.  Foram apresentados 450 trabalhos entre conferências, mesas-redondas, comunicações individuais, comunicações coordenadas
e pôsteres. O livro com os resumos dos trabalhos pode ser baixado em versão PDF aqui.

Com uma programação super interessante e diversificada, foi difícil escolher a quais comunicações assistir, além das palestras no auditório principal. Optei por aquelas relacionadas ao uso das TICs na formação de professores, assunto que vem de encontro a minha vivência profissional atual.

Uma das experiências mais interessantes em eventos educacionais como este é a oportunidade de trocar ideias com pessoas dos mais variados locais, ouvir suas vivências e poder comparar com as nossas. Gosto de conhecer pessoas, principalmente educadores que, assim como eu, são apaixonados pelo uso pedagógico das TIC.

Outra boa surpresa foi encontrar a queridíssima Débora Sebriam que falou sobre REA. Infelizmente não consegui acompanhar a mesa redonda que se seguiu, mas como todos os videos serão disponibilizados, em breve, neste canal, será possível ver tudo o que não consegui in loco.

 

 

 

1 comentário

Arquivado em educação, internet, Notícias, professor, tecnologias

Simpósio Hipertexto vai reunir mais de mil pesquisadores no Centro de Convenções da UFPE

Este ano, participarei como ouvinte da 4 edição do Simpósio Hipertexto que inicia no dia 13 de novembro. Já estou com o programa em mãos e a dificuldade, agora, é decidir o que acompanhar, pois são temas que me interessam, principalmente, aqueles relacionados à formação docente para o uso das TIC.

Segue abaixo matéria retirada do site do evento:

A 4ª edição do Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação chega para mostrar que o hipertexto é um fenômeno que desconhece fronteiras tanto geográficas quanto disciplinares. O evento acontece entre os dias 13 e 15 de novembro no Centro de Convenções da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Com mais de mil participantes, de diferentes domínios das Ciências Humanas e Exatas, o Simpósio terá 5 conferências e 430 trabalhos distribuídos entre sessões de comunicação e pôsteres digitais, além de mesas-redondas, lançamentos de livros, exposições e a entrega do Prêmio Artes Digitais e Aplicativos Educacionais.

A abertura do Simpósio vai acontecer no dia 13/11, às 19h30. Nela será realizada conferência com o pesquisador João Mattar (UAM-Brasil e PUC-SP). Durante a palestra Parangolé x Batman, o especialista no desenvolvimento de técnicas para dinamizar redes sociais falará sobre como na “desestrutura” do ciberespaço podem ser planejadas estratégias educacionais afinadas com as demandas do século XXI.

No dia 14, às onze da manhã, a pesquisadora Lucia Santaella (PUC-SP), uma das maiores especialistas em Semiótica do país, vai refletir sobre como os conflitos e afinidades entre hipermídia e transmídia definem o atual perfil da comunicação, que coloca em interação Linguística, Informática e Biologia.

A conferência do francês Imad Saleh (Université Paris-8), no dia 14, às 16h30, vai tratar sobre como Ciências Humanas e Ciências Exatas reformulam suas fronteiras diante do desafio da interdisciplinaridade aplicada às redes sociais. Também vindo da França, Philipe Bootz (Université Paris-8) vai apresentar, no dia 15, às 11 da manhã, os resultados de suas pesquisas sobre a interação entre cálculo, tecnologia e sensibilidade na Literatura e nos demais processos de criação estética que utilizam como material a palavra.

Num contexto em que a Educação a Distância (EaD) se expande em ritmo acelerado, o especialista em Realidade Misturada, Romero Tori (USP), estuda como a sobreposição entre ambientes reais e ambientes virtuais está nos levando rumo à era da Educação Sem Distância. Este será o tema de sua conferência, proferida no dia 15, às 16h30.

Novas tendências – As pesquisas que serão apresentadas abordam temáticas que vão dos estudos da interatividade em blogs de moda e estética, passando pela adaptabilidade das redes sociais às pessoas com deficiência. É o caso da pesquisa do paraibano Leonardo da Silva Souza, que analisa como um software com recursos em Braille pode contribuir para a aprendizagem musical de cegos. Na mesma linha, pesquisadores da UFPB apresentarão o projeto Hawkings do Sertão, referente ao desenvolvimento de ferramentas de acessibilidade para portadores de necessidades especiais no Sertão nordestino.

Eu queria ter um Facebook, mas minha mãe não deixa eu mentir a idade. Com este título, a pesquisa de Helenice Ferreira, da UERJ, investiga os pressupostos éticos que orientam a conduta dos jovens nas redes sociais bem como os procedimentos de pesquisa relativos a este grupo social.

Já no campo das artes, o pesquisador Thiago Ramos (UFPE) falará sobre a possibilidade da Literatura ao vivo com auxílio das ferramentas do ciberespaço. O piauiense Juscelino Nascimento apresentará pesquisa sobre o novo perfil da linguagem bíblica ao ingressar em plataformas multimidiáticas.

Essas e muitas outras apresentações serão realizadas nas salas do Núcleo Integrado de Atividades de Ensino (Niate), prédio recém-inaugurado no campus da UFPE. As conferências e mesas-redondas do Simpósio acontecerão no Centro de Convenções da Universidade. A programação geral do 4º Simpósio Hipertexto pode ser acessada no link:http://www.hipertexto2012.com.br/programacao/caderno-de-programacao/

Realização
Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologia Educacional (NETHE/UFPE); Grupo Ciências Cognitivas e Tecnologia Educacional (CCTE/UFPE); Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL/UFPE); Programa de Pós-Graduação em Ciências da Computação (Cin/UFPE)

Apoio
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe); Editora Universitária; Pipa Comunicação; Associação Brasileira de Estudos de Hipertexto e Tecnologia Educacional (Abehte); Redu – A Rede Social Educacional; Parábola Editorial; Editora Vozes; Rêspel Editora

Deixe um comentário

Arquivado em educação, internet, mídias, Notícias, professor, tecnologias

Finalizando o curso Tecnologias na Educação – turma 01 de 2012

Como é bom cumprir uma etapa, alcançar um objetivo, concluir um projeto, conquistar um sonho! 🙂
Estamos encerrando o curso do programa Proinfo Integrado “Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC“. Foram 4 meses de muito estudo e muito trabalho. Para muitos professores foi a primeira experiência de curso na modalidade semi-presencial. O curso de 100h teve 9 encontros presenciais em que pudemos discutir  os vários temas propostos e também aprender novas ferramentas midiáticas para aplicar com os alunos. A seguir um breve resumo das principais atividades desenvolvidas.
No primeiro módulo “Tecnologia na Sociedade, na Vida e na Escola”, a partir da leitura e reflexão sobre os assuntos lidos, os primeiros textos em duplas foram produzidos e publicados no blog do curso. Como atividade prática uma pesquisa sobre as tecnologias utilizadas nas escolas traçou um panorama a respeito da atual existência e utilização das TIC nas unidades escolares. Para apresentar os resultados da pesquisa foi utilizada o primeiro recurso online: o Google Docs.
Também neste primeiro módulo iniciamos o estudo sobre Mapas Conceituais e WebQuests que foram aprofundados no módulo seguinte.
Além dos estudos a distância cada módulo teve também como atividade online a participação nos Fóruns de Discussão. Os fóruns ofereceram uma oportunidade a mais de troca de ideias e interação entre os cursistas.
No módulo 2 “Internet, Hipertexto e Hipermídia” estes conceitos foram estudados e também vivenciados. Os blogs/portfólios dos cursistas foram criados durante o encontro presencial e começaram a ser alimentados com os relatos de aplicação das atividades desenvolvidas nas escolas utilizando os Mapas Conceituais e as WebQuests. Estas metodologias permitiram aos professores exercitarem a autoria e o planejamento de atividades desafiadoras para seus alunos além de vivenciarem a aplicação da teoria em sala de aula. As impressões sobre estas experiências fazem parte dos registros nos portfólios.
Durante o terceiro módulo “Currículo, Projetos e Tecnologias” pudemos aprofundar a reflexão sobre práticas de integração de tecnologias ao currículo.  A partir da leitura do texto “Os desafios da linguagem do século XXI para a aprendizagem na escola” de Pedro Demo, os professores elaboraram um hipertexto e puderam expor suas ideias  através de palavras, imagens, vídeos, apresentações e hiperlinks.
O último módulo do curso “Prática Pedagógica e Mídias Digitais”  permitiu analisar e experimentar algumas possibilidades de incorporar esses meios ao trabalho pedagógico através da criação de jogos digitais e a produção de atividades online utilizando o formulário do Google Docs aliado a vídeos do YouTube.
No Fórum de Discussão os alunos analisaram o panorama de uso das mídias nas escolas e  discutiram a respeito de suas possibilidades como aliadas ao processo de ensino e aprendizagem.
Não posso deixar de ressaltar aqui o empenho e a dedicação dos professores que participaram ativamente do curso com muito comprometimento colocando em prática, na escola, alguns dos recursos estudados. Tenho certeza de que muito mais ainda será desenvolvido com os alunos a partir destas vivências. Mais importante do que o que foi realizado é o que ainda será desenvolvido. Como uma cortina que se abre, o curso revelou várias possibilidades de uso das mídias e tecnologias na educação, provocando a reflexão e a inquietação. Saber do que é possível fazer é o primero passo para que se queira fazer!
Deixo registrado aqui meu agradecimento à Secretaria de Educação que me permitiu a convivência e aprendizagem como tutora deste grupo de pessoas tão especiais, professores que querem e que sabem que podem fazer a diferença na vida de seus alunos.
Obrigada, professores, sentirei saudades de todos, mas continuarei acompanhando o belíssimo trabalho de vocês através dos seus portfólios:
Turma do matutino
Turma do vespertino
Como última atividade proponho uma avaliação dos professores cursistas utilizando o sistema de comentários considerando aspectos como: formato do curso, você como aluno de EAD, conteúdos teóricos e organização modular, atividades a distância, encontros presenciais, aplicação prática com os alunos, conhecimentos construídos, dificuldades encontradas, obstáculos vencidos, atuação da tutoria, material do curso e o ambiente EAD.
Um grande abraço e obrigada a todos pela companhia durante estes quatro meses. Sucesso!

45 Comentários

Arquivado em educação, ferramentas, internet, mídias, professor, tecnologias, vídeo

Prêmio Microsoft Educadores Inovadores 2012

Estão abertas as inscrições do Prêmio Microsoft Educadores Inovadores 2012
Educadores de todo o Brasil já podem enviar seus projetos e garantir sua participação!

Estão abertas até o dia 06 de agosto as inscrições para a sétima edição do Prêmio Microsoft Educadores Inovadores, que valoriza e reconhece os melhores projetos educacionais desenvolvidos por professores brasileiros que utilizam a tecnologia para melhorar os processos de ensino e aprendizagem.

Para concorrer, basta acessar o site http://www.educadoresinovadores.com.br e seguir as instruções. Educadores de todo o Brasil podem se inscrever nas seguintes categorias:
1) Escolas Públicas de Educação Básica

Podem se inscrever individualmente educadores e gestores da rede pública de ensino, independentemente de sua área de atuação (ex. Português, Matemática, Física etc.): escolas públicas (municipais, estaduais ou federais), fundações e instituições de ensino sem fins lucrativos que atuem no Ensino Formal e não cobrem pelos serviços prestados. Também podem participar os educadores de escolas técnicas que lecionem disciplinas de educação básica como: Português, Matemática, Ciência etc.

• Inovação em Comunidade: Aprendizagem Além da Sala de Aula
• Inovação em Colaboração: Aprendizagem Colaborativa
• Inovação em Conteúdo: Construção do Conhecimento e Pensamento Crítico
Os educadores que se inscreverem em uma das três categorias acima poderão ser remanejados pelo Comitê de Seleção para duas categorias especiais: Inovação em Contextos Desafiadores e Uso Avançado de Tecnologias Microsoft na Aprendizagem. *Os projetos não irão necessariamente concorrer na mesma categoria em que estão inscritos.



2) Ensino Técnico – Educador Inovador Escola Técnica

Podem se inscrever individualmente educadores e gestores que lecionem disciplinas relacionadas à Tecnologia da Informação (TI) em escolas técnicas municipais, estaduais e federais.

3) Escolas Particulares – Educador Inovador Escola Particular
Podem se inscrever educadores de escolas particulares, instituições e fundações mantidas por recursos de empresas privadas que lecionem em qualquer disciplina.
Premiação

O Prêmio Microsoft Educadores Inovadores terá seus finalistas definidos até o dia 22 de agosto. Dentre os vinte e um projetos escolhidos, os vencedores de cada categoria participarão da etapa internacional.

Aqueles que apresentarem os melhores trabalhos serão premiados com um Notebook contendo o sistema operacional da Microsoft e um pacote de aplicativos Office. Assim, poderão dar continuidade na criação de novas ideias, beneficiando cada vez mais pessoas e compartilhando o gosto e o conhecimento pela tecnologia educacional. Além de uma bolsa de curso online de inglês pela empresa EF English Town.

Após a premiação, os responsáveis pelos projetos vencedores nas categorias destinadas à educação básica (escolas públicas) e o vencedor na Categoria Escolas Particulares, apresentarão seus trabalhos no Microsoft Partners in Learning Global Forum que será realizado em Atenas, na Grécia.

Para acompanhar as novidades do Prêmio, acesse: https://www.educadoresinovadores.com.br
Siga no Twitter: http://www.twitter.com/eduinova
Página no Facebook: http://www.facebook.com/eduinova
Dúvidas? Envie um e-mail para educadoresinovadores@hotmail.com

Deixe um comentário

Arquivado em educação, Notícias, professor

Começa o Prêmio Fundação Telefônica de Inovação Educativa

header_pt

Estimai@s docentes:

Mais um ano Fundação Telefônica continua apostando por premiar àqueles professores que fomentam o desenvolvimento dos seus alunos através das novas tecnologias com o objetivo de impulsionar uma mudança metodológica real na aula. Em 2012, o Prêmio Fundação Telefônica de Inovação Educativa orientado a docentes e alunos de todo mundo para animá-los a que participem em um projeto que é, além de um reconhecimento, uma enorme comunidade de aprendizagem.

A partir do dia 9 de abril até 20 de maio o período de inscrição estará aberto. Para inscrever-se não espere mais e clique aqui.

É importante que durante este período não se esqueça de elaborar a Memória Pedagógica do seu projeto. No site oficial do Prêmio (www.educared.org/premionternacional) você pode conferir os requisitos de participação e resolver as suas dúvidas.Também poderá manter-se informado de todas as novidades em relação ao Prêmio e entrar nos espaço de trabalho e aprendizagem.

Entre em contato com o escritório do Prêmio para qualquer dúvida ou veja os canais habituais: Facebook, Twitter y Google+. Além disso, você pode falar conosco através do correio electrónico premiointernacional@educared.org ou ligando ao 34.981.975.621 ou 34.902.103.286 nosso horário de atenção 09.00 a 18.00 (hora espanhola).

Animamos a que participe e lembre-se que neste concurso aprender é compartilhar.

Deixe um comentário

18/04/2012 · 10:04 AM