Arquivo da categoria: software livre

Primeira semana mundial de educação aberta

       fonte:http://www.saylor.org/site/wp-content/uploads/2012/02/OEW-Banner.jpg
 

Esforços para expandir o acesso à educação e ao conhecimento reunidos num evento global.

O OpenCourseWare Consortium anuncia a Primeira Semana Mundial da Educação Aberta, de 5 a 10 de março de 2012. A Semana Mundial da Educação Aberta (Open Education Week) é um evento anual e global que objetiva à conscientização no que diz respeito aos benefícios do compartilhamento livre e aberto na educação e, em particular, em relação aos Recursos Educacionais Abertos (REA). Recursos Educacionais Abertos são materiais educacionais de alta qualidade, distribuídos de forma aberta e livre de custos e que oferecem a pessoas de qualquer parte do mundo a oportunidade de compartilhá-los, utilizá-los, adaptá-los, traduzi-los e reutilizá-los.

“A visão do movimento da educação aberta é a de criar um mundo em que o desejo de aprender seja plenamente realizável através da oportunidade de assim o fazer, de modo que qualquer pessoa em qualquer lugar possa ter acesso a oportunidades adequadas sob o ponto de vista educacional, cultural e financeiro que lhes proporcionem obter os conhecimentos que desejem. O movimento engloba a produção, compartilhamento, utilização e modificação de conteúdos, bem como modelos educacionais inovadores”, disse Mary Lou Forward, Diretora Executiva do OpenCourseWare Consortium. “A Semana Mundial da Educação Aberta exibirá projetos, recursos, pessoas e ideias para que pessoas de todo o mundo possam ver a extensão de tudo o que já foi realizado até agora e participar das discussões acerca do futuro do movimento”.

A Semana Mundial da Educação Aberta está sendo coordenada pelo OpenCourseWare Consortium. O evento acontecerá online e em diferentes lugares do mundo, com oportunidades de participação em webinars, discussões e eventos ao vivo. Os projetos e eventos serão apresentados por instituições e organizações do mundo todo, tais como: University of Cape Town, University of Michigan, Universidad Politécnica de Madrid, University of Califórnia, Irvine, Delft University of Technology, Unisul, and Creative Commons.

O Projeto REA Brasil participará em dose dupla, com intervenções de Carolina Rossini e Débora Sebriam, nos dias 07 e 08/03.

 

 

Fonte: Site oficial do REA Brasil.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em educação, professor, software livre, tecnologias

Educaparty – uma experiência inesquecível durante a CampusParty

Entre os dias 07 e 10 de fevereiro, no Anhembi, SP, tive a felicidade de participar da primeira edição da #Educaparty, evento direcionado à educação, dentro da Campus Party, que é “o maior acontecimento de tecnologias, inovação, entretenimento digital, ciência e cultura digital do mundo.”

Realizado pela Fundação Telefônica com a parceria do Instituto Educadigital, o evento reuniu quase 300 convidados, dentre eles, educadores inovadores, líderes digitais e especialistas da área de Educação e Tecnologia que participaram de uma jornada de aprendizagem especialmente preparada para oferecer inúmeras atividades como palestras, debates e oficinas que nos proporcionaram uma verdadeira imersão nas mais diversas tecnologias que podem e devem estar aliadas à educação.

No dia 07, às 14h, fomos recebidos pela equipe do Instituto Educadigital e Instituto Tellus, no hotel Holiday Inn onde ficamos todos hospedados, e participamos a primeira atividade que foi uma dinâmica de integração tendo como princípio a cocriação. Nesta atividade pudemos interagir com o grupo e refletir sobre o que gostaríamos de aprender durante a Educaparty, já nos preparando para a semana de intensas atividades que se seguiram.

Tivemos também a presença da professora Léa Fagundes neste encontro e ainda uma conversa bastante descontraída com o pesquisador indiano Sugata Mitra, professor de Tecnologia Educacional da Newcastle University e convidado especial para abrir a EducaParty. Nesta conversa Sugata Mitra fez algumas reflexões sobre como as crianças aprendem umas com as outras e como a escola, muitas vezes, inibe este processo natural de aprendizagem através de seu modelo industrial de transmissão de conteúdos. Para exemplificar, solicitou aos participantes que dessem exemplos de conteúdos que ministrariam no dia seguinte e fez considerações sobre como compartilhar com os alunos a responsabilidade pela busca de conhecimento, deixando que os alunos sejam efetivamente protagonistas no desenvolvimento de sua aprendizagem. Ainda no mesmo dia, à noite, assistimos à palestra de Sugata Mitra no palco principal da Campus Party com grande público.  Suas ideias convidam o professor a repensar seu papel na escola propondo uma parceria com os alunos para juntos aprenderem mais e melhor.

Os dias passaram rápido, muitas vezes, gostaria de estar em três ou quatro lugares ao mesmo tempo. Enquanto acompanhava um debate e twittava destacando as principais ideais, também lia os posts dos colegas que twittavam sobre outro debate que acontecia mais adiante e sobre um assunto também imperdível. Como administrar tanta informação? A vida é feita de escolhas. Então era preciso escolher.  O bom é que os debates ainda podem ser vistos pelo Campus Channnel.

 Como disse o colega Sérgio Lima, que foi um dos “desvirtualizados” (termo que passamos a usar para nos referirmos a quem já conhecíamos e/ou interagíamos em rede e que finalmente conhecemos pessoalmente), só quem esteve lá sabe o que viveu. É impossível descrever a emoção destes encontros e dos reencontros, o carinho e a acolhida da equipe que preparou nos mínimos detalhes esta jornada de aprendizagem da qual participamos.

O próximo post será dedicado aos encontros, reencontros e novos amigos. 😉

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desafios da Educação, Desenvolvimento Econômico e Concurso Hackathon. Veja um resumo do segundo dia da Campus Party Brasil 2012. #cpbr5 #vivonacampus

1 comentário

Arquivado em internet, mídias, professor, software livre, tecnologias

Campus Party Brasil conectará 7 mil participantes em alta velocidade

quinta edição da Campus Party no Brasil, que começa na próxima segunda-feira em São Paulo, contará com 7 mil acampados que disporão de uma velocidade de conexão de 20 giga, em um encontro tecnológico que dará prioridade à inovação e aos novos talentos, anunciaram os organizadores nesta terça-feira.

O presidente da Telefônica Brasil, Antônio Carlos Valente, disse que o evento oferecerá durante sete dias “a maior velocidade de acesso à internet” do país, ao se referir aos 20 giga por segundo, o dobro da capacidade oferecida no ano passado.

A empresa é a principal patrocinadora da Campus Party, um evento que é um “grande celeiro de talentos”, segundo Valente afirmou em entrevista coletiva.

Além disso, garantiu que a reunião, que desta vez será realizada no Anhembi, é “a maior iniciativa de empreendedores tecnológicos” em escala internacional.

Já o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, presente na entrevista coletiva, declarou que a realização desta quinta edição representa “definitivamente um sonho que se tornou realidade” e afirmou que a reunião se transformará em um “dos grandes eventos do calendário oficial da cidade”.

Para Mario Teza, diretor da Futura Networks, organizadora do evento, a presente edição baterá “todos os recordes” em velocidade de conexão, em espaço e em número de participantes registrados, um total de 7 mil pessoas, das quais 5 mil estarão acampadas.

Dentro da programação do encontro, no qual haverá 500 horas de conteúdos divididas em quatro áreas de conhecimento, serão abordados os projetos de lei promovidos nos parlamentos de muitos países, como a conhecida lei SOPA (Stop Online Piracy Act), em debate nos Estados Unidos, que têm o objetivo de aumentar a proteção aos direitos de propriedade intelectual.

Em declarações à Agência Efe, Valente disse que internet tem “uma série de características” que possibilitaram que a rede tivesse “a força que agora tem” e acrescentou que nesse sentido “não vai mudar”.

No entanto, destacou que a “propriedade intelectual deve ser preservada para que possa ser desenvolvida” e que esse tipo de direitos serão cada vez mais protegidos na internet.

A Campus Party, que foi realizada pela primeira vez em 1997 na Espanha, tem edições em vários países da América Latina e EUA. O evento, que terminará no próximo dia 12, conta com um amplo programa de conferências, debates e concursos.

Fonte: http://noticias.terra.com.br
 

Acompanhe ao vivo:

Deixe um comentário

Arquivado em internet, Notícias, software livre, tecnologias

Ubuntu 9.10

Minha amiga blogueira Jenny Horta me lembrou hoje do lançamento do Ubuntu 9.10, no dia 29 deste mês. Segundo a comunidade, esta versão “procurou no primeiro momento proporcionar um melhor visual, tornando-se referência em design a partir de agora.” Pelo vídeo promocional dá pra se ter uma idéia.

 

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Ubuntu 9.04 3D Desktop“, posted with vodpod

 

Para solicitar o envio de um CD grátis clique aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em software livre

Edição de vídeos com software livre

Revista_EspiritoLivre_006_capa

A edição de setembro da revista Espírito Livre traz como matéria de capa a matéria sobre edição de vídeos utilizando softwares livres.
“Para reforçar o tema são apresentadas nesta edição duas entrevistas. Giuseppe Torelli e Tadej Borovšak, desenvolvedores do Imagination, falam do software de geração de vídeo a partir de imagens. Já Richard Spindler, criador do Open Movie Editor, fala sobre o software e como trabalhar com vídeo. Vj pixel também participou da redação de uma matéria interessante sobre Open Video e Sinara Duarte apresenta ainda diretrizes para se trabalhar com vídeos em sala de aula. Flávia Jobstraibizer continua a falar sobre o PHPBoleto e Walter Capanema também desdobra outros aspectos jurídicos sobre Spam. Alexandre Oliva relata uma feliz experiência com um netbook Yeeloong, com sua tela de 9′ e um eficiente processador.”

Faça o download da revista aqui.

1 comentário

Arquivado em ferramentas, mídias, Notícias, software livre, tecnologias, vídeo

Escola também é lugar de rádio

O rádio apesar de ser uma mídia de fácil acesso e baixo custo ainda é muito pouco explorado na escola. No curso de formação continuada Criação de Podcasts na Escola fiz a seguinte pergunta aos professores: Quem utiliza ou já utilizou rádio na sala de aula ou sabe de algum colega que  use este recurso com os alunos? A primeira resposta referiu-se aos professores de Inglês que costumam usar o rádio para trabalhar músicas com os alunos, mas aqui houve uma confusão com relação ao uso do aparelho e não da mídia. Desfeito o equívoco, a maioria foi unânime em afirmar que nunca havia feito uso pedagógico do rádio, mas alguns relataram que já propuseram atividades aos alunos em que estes tiveram que ouvir algum programa para um debate posterior em sala de aula. Neste caso, os alunos continuam como meros receptores de conteúdo: muda o meio, mas não muda a prática. O que se propõe com a criação de programas de rádio web na escola é que os alunos passem a exercer o protagonismo, exercitando a autoria, a autonomia e  a criatividade através da elaboração e publicação programas de rádio na web.
A produção de podcasts no espaço escolar abre um leque grande de possibilidades educacionais, aproximando alunos e professore. O custo de produção e manutenção é praticamente inexistente, pois há vários serviços grátis para publicação de podcasts. Os programas são produzidos a partir de um computador com acesso à internet e podem ser baixados e ouvidos várias vezes. Além disso, são necessários um microfone e um programa para edição de áudio, como o Audacity, que é livre.
Toda a produção dos programas pode ser feita pelos alunos: da definição das pautas e escrita do roteiro à edição final e publicação na rede.
A rádio web escolar abre  espaço para a divulgação e valorização da produção dos alunos, dos professores e da comunidade. Os alunos podem gravar entrevistas com outros alunos, com pessoas da comunidade, professores ou convidados especiais sobre os mais diversos assuntos e  também divulgar seus talentos artísticos. Quantos de nossos alunos cantam, tocam algum instrumento, escrevem textos, músicas ou poesias que nunca ouvimos? As gravações podem, ainda, contemplar os assuntos curriculares tanto por parte dos alunos como dos professores. Que tal um plantão tira-dúvidas ou um espaço de dicas dos professores e até de revisão de matérias dentro da programação da rádio?

A escolha das músicas também é importante, pois traz à tona discussões sobre direitos autorais e Creative Commons. Apesar de podermos enfrentar alguma resistência dos alunos com relação às músicas que eles não conhecem, encontramos aí uma oportunidade de ampliar-lhes o conhecimento para artistas que disponibilizam seus trabalhos na rede. A rádio web escolar também pode ser um canal de divulgação e valorização dos artistas locais.

Assim como os blogues, as páginas de publicação de podcasts permitem a participação do ouvinte através do sistema de comentários ou ainda por meio de gravações de áudio. Dessa forma, não só os alunos mas também os pais e todos os visitantes tem acesso aos conteúdos publicados e podem interagir ajudando na construção dos programas  com suas opiniões, dúvidas, críticas ou sugestões fazendo com que a  rádio web escolar seja mais um espaço de comunicação e de aprendizagem colaborativa em que o antigo modelo de distribuição radiofônica um-para-todos seja substituído pelo modelo todos-para-todos.

Abaixo alguns momentos dos professores em ação durante o curso:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about ““, posted with vodpod

3 Comentários

Arquivado em educação, ferramentas, mídias, música, podcast, software livre

Revista Espírito Livre

rel001_capaLançado neste mês mais um referencial digital sobre software livre e afins.

“A Revista Espírito Livre vem com a proposta de trazer conteúdo de qualidade, produzido por uma equipe altamente competente e atuante no Brasil e exterior. Terá periodicidade mensal e seu download é gratuito.

A equipe liderada por João Fernando, da Iniciativa Espírito Livre, é composta ainda por Hélio Ferreira na edição de arte, e como colunistas e responsáveis por artigos estão Cezar Taurion (IBM), Alexandre Oliva (FSFLA), Jomar Silva (ODF Alliance), Roberto Salomon (IBM), Edgard Costa (BrOffice.org), David Ferreira (CDLivre), Cárlisson Gaudino, Lázaro Reinã, entre outros. A revista ainda conta com Rodrigo Leão e sua tirinha do Lino e Wino, e Kárlisson com o seu já popular Nérdson não vai à Escola. Eventos de software livre e afins também tem lugar garantido na agenda e em outros locais de destaque da revista. Caso seja responsável por algum evento, entre em contato conosco. A matéria de capa é sobre Computação em Nuvem e a entrevista de estréia é com Pau Garcia-Milà, criador do conhecido sistema operacional web eyeOS.”

fonte: http://www.revista.espiritolivre.org

Clique sobre a imagem para fazer o dowload da revista.

Destaco aqui o artigo escrito pela amiga blogueira Sinara Duarte “Quando o pinguim vai a sala de aula” que apresenta algumas reflexões sobre o uso dos softwares livres na Educação e o conceito de softwares educacionais. Sinara mantém o blog Software Livre na Educação onde apresenta dicas imperdíveis para quem quer aprofundar conhecimentos no uso dos softwares livres na Educação. Para mim é um prazer acompanhar a trajetória desta professora que se auto define como “uma pedagogoa nerd, que não tem formação em computação, nem certificações, apenas (grifo meu) o interesse, a curiosidade e a necessidade de trabalhar com o GNU/Linux.”

Apenas, Sinara? Esta garra e determinação em continuar a aprender sempre mais é que fazem a diferença. Sinara Duarte foi uma das professoras parceiras com quem desenvolvi, em 2006, o projeto de escrita colaborativa O Lugar onde Moro. Conhecemo-nos através do Orkut, quando fiz a divulgação do projeto e passamos a conversar sobre sua realização. Sinara desde o início mostrou-se motivada e, mesmo enfrentando dificuldades de acesso em sua escola na época, conduziu o trabalho de forma brilhante proporcionando aos alunos uma participação expressiva no projeto.

Parabéns, Sinara, pelo caminho que vem trilhando, pelo muito que tem compartilhado e pelas conquistas que merecidamente tem alcançado!

2 Comentários

Arquivado em professor, software livre