Arquivo da tag: tecnologias

Tecnologia no ensino a distância

??????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

A educação no país está cada vez mais evoluindo e com o ensino a distância não é diferente. Conheça aqui tudo sobre a tecnologia no ensino a distância.

O ensino a distância (EAD) tem feito muito sucesso em nosso país e para melhorar ainda mais esse método de ensino são usadas tecnologias que proporcionam meios para facilitar o ensino. Como exemplo podemos citar o e-learning, que usa a internet para que o aluno possa se comunicar com o professor.

Com as novas tecnologias desenvolvidas para alunos de EAD, o ambiente de ensino está mais enriquecido, favorecendo a interação entre aluno e professores. Levando em conta que muitos alunos do ensino a distância possuem dificuldades para usar as tecnologias, o EAD disponibilidade várias tecnologias para que eles consigam se adequar a alguma.

Veja quais os tipos de tecnologias que são usadas nessa modalidade de ensino:

– Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA)

Ambientes que auxiliam a educação a distância com espaços para facilitar a gestão dos cursos de EAD em um ambiente virtual. Assim, toda a interação entre o aluno do curso a distância e o professor é feita nesses locais, onde os cursos são separados por salas virtuais.

– Chats

Conhecido também como bate-papo, é utilizado na educação a distância onde seu objetivo é estabelecer uma conexão entre os participantes. Pelo chat os alunos esclarecem dúvidas com os seus professores e tutores, promovendo até mesmo discussões em grupos.

Como vantagem, o chat permite que as conversas sejam armazenadas de forma que, um aluno que não participou dessa discussão e possui a mesma dúvida, tenha acesso.

– Vídeo conferência

Essa é uma tecnologia onde os alunos e os professores podem estabelecer uma comunicação bidirecional, por meio de dispositivos de comunicação. No EAD a videoconferência proporciona um contato visual entre os professores e os alunos, mas existem limites para esse tipo de tecnologia, por exemplo, um computador ou outro dispositivo ligado na internet.

Quais as vantagens de usar a tecnologia no ensino a distância?

Entre as vantagens, podemos destacar:

Os alunos podem buscar informações à medida que precisarem por meio do acesso à internet, pois podem fazer pesquisas sobre vários assuntos; As mídias, assim como os ambientes virtuais, estabelecem uma interação entre professor e aluno em tempo real; Por meio de tutores que estão disponíveis nos ambientes virtuais, cada estudante de EAD pode sanar suas dúvidas sempre que precisarem; Com os métodos de ensino que são usados na EAD, os alunos podem trocar experiências; As aulas estão disponíveis para qualquer aluno que quiser acessá-las e sempre que precisar. Assim, se alguém perdeu alguma aula ou ficou com dúvidas sobre o conteúdo, poderá revisar quando e quanto quiser; Com a tecnologia utilizada na EAD, os alunos graduandos e o corpo docente do curso terão uma proximidade maior, além da interação. Com a tecnologia no ensino a distância os alunos podem estudar mais e se preparar para as provas de forma fácil e prática, podendo contar com ajuda de seus tutores. Dúvidas sobre a oferta de cursos podem ser esclarecidas através dos sites das instituições ou atendimento pelo Pabx com atendentes preparados para explanar os detalhes sobre as ofertas de cursos.

Dafna Obadia – escritora e assistente virtual paraense, dedica-se à Licenciatura em Letras na Universidade Anhanguera e Bacharelado em Direito na Universidade da Amazônia.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em educação, internet, publipost

1ª Semana do Livro Digital

Recebi a divulgação da Semana do Livro Digital por e-mail e compartilho as informações aqui com vocês:

livro

A partir do próximo domingo, leitores de todo o país terão um motivo a mais para conhecer e experimentar o livro digital. E que reflete no bolso. Livrarias, editoras e autores promovem a 1ª Semana do Livro Digital, evento online que oferecerá milhares de ebooks gratuitos, ou com descontos especiais, entre os dias 03 e 09 de março. Já está confirmada a participação de nomes tradicionais do mercado editorial, como Livraria Cultura, Editora Zahar, Editora FGV, Grupo Editorial Summus, entre outras editoras e dezenas de autores independentes. O primeiro eBook de aventuras históricas interativas do Brasil – Caçada nos Mares Proibidos – estará de graça neste período. A lista completa, atualizada diariamente, pode ser vista neste link.

As promoções estarão concentradas no site semanadolivrodigital.com.br, a partir da 0h01 deste domingo. O site funcionará como uma “feira do livro”, só que online. O leitor poderá navegar pelas promoções, conforme o tipo – descontos, livros grátis, ou buscando diretamente a livraria ou editora de sua preferência.

A Semana do Livro Digital é um evento online que acontece desde 2004, nos Estados Unidos e Canadá, onde chama-se Read an Ebook Week. A primeira edição brasileira do evento é uma iniciativa da Simplíssimo, empresa gaúcha especializada em livros digitais, que atende o mercado editorial desde 2010.

Paola Carvalho, autora do 1º eBook de aventuras históricas interativas do Brasil, Caçada nos Mares Proibidos – Aventuras na Rota da Índia

Caçada nos Mares Proibidos (spadah.com.br)

É o primeiro eBook de aventuras históricas interativas do Brasil, onde o leitor é quem decide, no fim de cada capítulo, como ele quer continuar a história. Conta as jornadas do grumete português Eusébio por mares desconhecidos numa missão secreta para salvar a Rota da Índia. As escolhas podem levar o leitor à África, ao Egito, a selvas e a mares que poucos se atreveram explorar. No caminho de tesouros e perigos, pode encontrar personagens épicos, como Vasco da Gama e Pedro Álvares Cabral. Há 23 finais. Portanto, quando encontrar um “FIM”, pode-se optar por novo ponto de partida. Está à venda nas maiores livrarias virtuais do país para ser lido em e-readers, tablets, computadores e telefones. Custa R$ 14,50 ou US$ 6,99, mas será gratuito durante a Semana do Livro Digital.

2 Comentários

Arquivado em Notícias, tecnologias

Formação continuada docente – relato de uma experiência

Falar sobre formação continuada de professores é sempre um desafio. Embora existam opiniões divergentes sobre como ela deva acontecer, uma coisa é certa: a formação superior não é suficiente para preparar um professor, pois esta construção se faz na prática e na reflexão sobre a prática, como nos alerta Paulo Freire. Este profissional, como todos os outros, precisa de atualização constante ao longo de sua carreira. Os cursos são importantes e necessários pois, de certa forma, suprem as deficiências da formação inicial e permitem que os professores troquem experiências com outros educadores desenvolvendo, assim, a aprendizagem ao longo da vida de forma colaborativa.

O ideal é que sejam ofertadas oportunidades de formação constantes e não apenas pontuais, de modo que os professores possam aplicar na escola o que vivenciam nos cursos e que tenham a oportunidade de relatar suas experiências e refletir sobre elas. A reflexão sobre a prática é parte essencial do processo de formação. Em se tratando de cursos sobre a utilização das NTICs, se esta reflexão não existir, corremos o risco de apenas instrumentalizar os professores sem que estes encontrem significado no que “aprendem” nas formações e não havendo, portanto, qualquer mudança em sua prática docente.

A experiência que vou relatar aqui como formadora foi vivenciada por mim, este ano, e foi muito gratificante pelos resultados que pude acompanhar através dos relatos dos professores durante os encontros presenciais e também através de seus portfólios virtuais, construídos durante o curso “Tecnologias na Educação: Ensinando e Aprendendo com as TIC”. Foram duas turmas de 40 cursistas compostas por professores de sala informatizada, supervisores, professores de educação infantil, fundamental I e  fundamental II. Ilustro meu relato com falas dos professores que retirei dos fóruns, portfólios e avaliações do curso, pois é na voz deles que ecoa esta experiência.

“Durante o curso, além da aprendizagem de novos recursos, foi possível também fazer uma reflexão sobre a minha prática pedagógica, pensei em tantas coisas que nunca havia parado para pensar. Esse conjunto de aprendizado e reflexão, foi um estímulo para que eu melhore cada vez mais o meu trabalho com os alunos, então isso foi muito gratificante para mim.” Ana Carine

“Este curso me surpreendeu: sempre fiquei apreensiva com EAD, pois era algo que nunca havia participado. Gostei muito pois com nossas correrias o ensino a distância facilita e muito o aprendizado. O material utilizado é excelente pois gera uma reflexão que nós precisamos como professores cotidianamente fazer: pensar e repensar nossas ações! Desta forma, o curso e a professora sempre desafiaram nossas ações, e é isto que nós devemos receber: apoio, incentivo para nossas aulas.” Franciele

“Nestes encontros não me senti aluna, mas aprendente. Foi uma sensação de aprendizagem muito diferente, interessante! Fui presente, perguntei, busquei e me superei porque esta é uma área que me serve muito como ferramenta básica (digitar provas, fazer PPTs, etc.), mas, até a participação no curso, não me impulsionava a novas buscas. Essa foi uma grande conquista!” Nélia

O curso de 100 horas é ofertado na modalidade semipresencial, durante quatro meses, e faz parte do programa Proinfo Integrado. Este tempo permitiu uma convivência que foi se estreitando ao longo do curso, fazendo com que a interação entre os participantes se aprofundasse. Os encontros presencias aconteceram quinzenalmente. Em cada oficina apresentei uma nova ferramenta que não consta do conteúdo do curso e que foi explorada e aplicada com os alunos, na escola.

Embora os principais conteúdos do curso já estejam definidos, o formador tem liberdade para atualizar, acrescentar ou aprofundar temas de estudo para sejam trabalhados conforme o perfil de cada turma. O ambiente online normalmente utilizado nestes cursos é o e-Proinfo, no entanto, optei por criar um AVA próprio utilizando um blog colaborativo com acesso restrito. Trabalho com blogs desde 2004 e, para mim, é uma ferramenta bastante flexível e que permite a incorporação de vídeos, áudios, sala de chat, fóruns, postagens individuais e coletivas, acesso ao material online do curso, além dos conteúdos e atividades realizadas durante os encontros presenciais.

blog

Para cada módulo criei um fórum de discussão onde os cursistas interagiam durante as semanas de estudos online. Para a maioria dos professores estas atividades foram novidade; tanto o estudo individual a distância, como a troca de ideias através de um ambiente virtual. Os fóruns tinham como tema de partida o assunto principal de cada módulo, mas abriam a discussão para questões práticas vivenciadas na escola e dúvidas sobre as atividades a serem desenvolvidas.

“Os fóruns eram muito instigantes e nos fizeram refletir sobre nossa prática, então você ao mesmo tempo que aprendia, fazia uma avaliação da sua prática e isto me deixou muito incomodada…percebi que preciso mudar e melhorar muito ainda minhas aulas para tornar meus alunos mais autores de sua aprendizagem.” Nádia

“A interação com os demais cursistas também proporcionou a cada encontro novas descobertas e mesmo a distância, lendo as discussões nos fóruns, nas dúvidas e na troca de e-mails cada vez mais todos aprendiam.” Ilma

“Gostei muito dos fóruns, surgiram muitas discussões e com isso o aprendizado ficou mais significativo.” Antonia

A discussão escrita ainda é um desafio para muitos, a maioria prefere a conversa face a face durante os encontros presenciais. A organização do tempo também é um grande desafio nos cursos a distância e a participação nos fóruns, muitas vezes, acaba sendo deixada para a última hora. Este também foi um importante aprendizado construído ao longo do curso. Por isso, procurei iniciar cada encontro presencial com uma discussão sobre os temas dos fóruns e um espaço de tempo para uma revisita e novas interações com os colegas.

Quanto aos conteúdos de estudo propostos pelo curso elegi dois como de aplicação “obrigatória” para que os professores pudessem vivenciar estas metodologias com seus alunos avaliar seus resultados: Mapa Conceitual e WebQuest. A maioria dos professores afirmou já conhecer e utilizar mapas conceituais em suas aulas, no entanto, este uso normalmente é apenas ilustrativo, os mapas já vem elaborados nos livros didáticos. Os alunos não são estimulados a construírem seus mapas. Este foi o primeiro desafio prático proposto aos professores. Depois de estudarem sobre o tema e exercitarem a elaboração de Mapas Conceituais utilizando o software CMAP TOOLS, planejaram e aplicaram com seus alunos. Alguns não conseguiram instalar o software na escola e adaptaram utilizando as ferramentas de desenho do editor de texto ou outro programa. Os professores registraram cada etapa de aplicação da metodologia de Mapas Conceituais com sua turma. Os relatos mostraram o envolvimento dos alunos durante as atividades e um maior entendimento do assunto de estudo, segundo a observação dos cursistas.

aluno aluno2

Em relação à WebQuest tive uma grande surpresa ao constatar que de cada grupo de 35 professores, apenas dois já conheciam esta metodologia e só uma professora já havia elaborado e aplicado com os alunos. O curso apresenta o assunto de forma muito rápida e superficial, por isso, dediquei um tempo especial ao tema pesquisa escolar com várias leituras, pesquisas e reflexões sobre o papel do professor como orientador deste processo de aprendizagem. Os professores elaboraram as WebQuests usando o editor de apresentações do Google Docs, mais uma ferramenta que foi bastante explorada durante o curso, assim como o editor de texto para a construção de um hipertexto colaborativo e o uso do formulário como atividade didática. Depois de prontas, as WebQuests foram incorporadas aos blogs/portfólios para serem trabalhadas na escola.

“Através da pesquisa e da procura por ideias para elaborar a minha WebQuest percebi o quanto essa ferramenta já é utilizada e o quanto pode facilitar o trabalho dos professores! Por ficar disponível na rede, a minha WebQuest pode também ser utilizada por outro professor e isso é uma maneira de dissipar boas ideias e de facilitar a troca!

“Propor uma atividade numa WebQuest além de ser uma maneira de integrar os alunos com as TIC’s permite que eles possam acessar as atividades / tarefas a serem feitas de onde quer que estejam, ou seja, o trabalho pode ser iniciado na escola e os alunos podem dar continuidade a ele de casa, retomando as tarefas, ampliando sua pesquisa, tendo mais tempo para realizá-la se assim desejarem! Acredito que oportunizar a pesquisa significativa em busca de informações relevantes para ter como resultado a produção de um trabalho próprio (que foge dos trabalhos comuns de pesquisa Ctrl C x Ctrl V) é um desafio que vale a pena encarar!” Critiane

“Comecei a aplicar a WebQuest com minha turma, percebi que com essa ferramenta tirei as dúvidas e os anseios que surgem durante a explicação de um trabalho. Os alunos saem de um ponto sabendo onde chegar e que caminhos devem percorrer. Não ficam perdidos apenas por pesquisar porque o professor pediu, pelo contrário, eles são envolvidos numa missão e é na tentativa de cumpri-la que aprendem.” Maristela

“Foi a primeira vez que trabalhei com WebQuest e os alunos me surpreenderam. A participação foi ótima, a professora de sala deles é bem comprometida e abraçou a ideia. Além do tema que ela mesma propôs, pois já estava sendo explorado em sala, ainda desafiou a turma a trabalhar com outros assuntos abordados nas aulas formando mapas conceituais. Construímos assim, uma nova forma de estudar, de aprender, de organizar os conceitos e conteúdos, pois além de ficar mais claro, fica menos extenso e cansativo. Foi atrativo a eles, todos conseguiram realizar e pediram para fazer mais vezes. Gratificante para mim e para a professora Marisa! “ Denize

A construção do blog foi uma das atividades que os cursistas mais aguardavam. Aqueles que são professores de Sala Informatizada normalmente são responsáveis pela manutenção do blog da escola, mas poucos professores tinham seu blog pessoal, um portfólio onde pudessem publicar as atividades e projetos que realizam na escola e ainda utilizá-lo como recurso pedagógico para trabalhar com seus alunos.

“Em relação ao blog sinto por não ter aprendido a utilizá-lo antes, é uma ferramenta FANTÁSTICA! Ainda a estou descobrindo, porém o que já aprendi me auxiliou muito durante as minhas aulas e meus alunos adoraram visitá-lo.” Tatiane

“Não posso deixar de comentar sobre como achei importante a criação de um blog para cada cursista. Pois os alunos adoram realizar as atividades no blog ou olhar as fotos, comentários e atividades que eles realizaram e os pais dos meus alunos também acessam em casa para conferir as postagens.” Maisi

“Criar um blog e poder compartilhar com meus alunos trabalhos práticos e usando uma ferramenta diferente que chama a atenção deles e a minha também claro é fantástico, estou muito feliz!” Cristiane

“Me realizei quando criei o meu Blog, fiquei muito entusiasmada, pois agora posso compartilhar minhas atividades e relatos daquilo que realizo com meus alunos, atividades as quais ficavam entre quatro paredes, na sala de aula.” Tânia

Os temas de estudo e ferramentas exploradas durante os encontros presenciais foram descritos com mais detalhe nesta postagem, por isso, não vou me alongar aqui.

Ao finalizar o curso “Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC” com duas turmas de professores durante este ano, fica em mim a certeza de que os cursos de formação continuada são importantes instrumentos não apenas de atualização, mas também de motivação e de valorização docente. Os professores sentem-se mais seguros e percebem o quanto ainda há para aprender e que as tecnologias não são meras distribuidoras de conteúdo, mas sim, ferramentas que educadores e alunos podem se apropriar para construir conhecimentos, compartilhar descobertas e dúvidas e buscar a solução de problemas.

“Chegando no final do curso, minha avaliação geral é: tenho outra visão do uso das mídias e internet com os alunos, pois vejo o quanto será possível transformar nossas aulas e abrir um mundo novo para nossos alunos, estimulando-os a serem participantes na construção do seu processo de aprendizagem e não somente receptores de informações” Denize

“Aprendi muita coisa nova neste curso e sei que ainda tenho muito a aprender, que ainda tropeço em muitas coisas, mas agora já tenho um novo olhar no que se refere as novas tecnologias, um olhar curioso, interessado e atento” Valdirene

“Quando surgiu a oportunidade de participar do EAD fiquei mais aliviada, porque vi nesse curso a grande oportunidade de aprendizagem. Todas as tarefas que apliquei com os meus alunos foram produtivas. Vi neles o entusiasmo para a execução das atividades propostas e a minha satisfação pessoal por poder proporcionar um novo desafio.” Lenira

“Este curso me fez refletir sobre minha prática pedagógica, a forma que eu elaborava meus planejamentos e pensava que conseguiria alcançar meus objetivos, ficava frustrada por meus alunos não aprenderem o que eu planejava, hoje vejo o quanto estava acomodada, hoje tenho ideias que até eu me assusto e penso, será que vou conseguir? Estamos em uma era digital, acompanhar os nossos alunos é um desafio enorme.” Cristiane

Todas as avaliações dos professores podem ser lidas aqui e aqui.

As novas tecnologias e as mídias online possibilitam, por meio de uma formação continuada aos professores, acesso ao conhecimento para inserir em suas práticas pedagógicas a pesquisa e a construção do conhecimento em rede. É preciso, portanto, que se invista mais na formação continuada dos professores, estimulando-os a utilizarem metodologias inovadoras que diminuam a rigidez das aulas e que permitam que a escola acompanhe a evolução tecnológica da sociedade inserida na era da informação.

Sobre a autora: Gládis Leal dos Santos, professora, graduada em Letras pela UNIVILLE – Universidade da Região de Joinville, especialista em Língua Portuguesa e em Mídias na Educação. Atuou como professora de Sala Informatizada na Rede Municipal de Ensino de Joinville, como supervisora de Tecnologias na Educação com especial atuação na formação docente para o uso das NTIC e como tutora de cursos a distância do Portal Educarede e SOCIESC . Atuou também como tutora presencial da 6ª  oferta da especialização em Mídias na Educação pela FURG. Seu projeto Palavra Aberta-intercâmbio de ideias no ciberespaço foi o vencedor do Concurso Internacional Educarede – 2007 na categoria Uso da Internet – Ensino Fundamental 2.

Blogs: http://professoragladis.blog.br
http://of2edu.blogspot.com.br
Twitter: @gladislsantos

6 Comentários

Arquivado em educação, professor, Rascunhando, tecnologias

Finalizando o curso Tecnologias na Educação – turma 01 de 2012

Como é bom cumprir uma etapa, alcançar um objetivo, concluir um projeto, conquistar um sonho! 🙂
Estamos encerrando o curso do programa Proinfo Integrado “Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC“. Foram 4 meses de muito estudo e muito trabalho. Para muitos professores foi a primeira experiência de curso na modalidade semi-presencial. O curso de 100h teve 9 encontros presenciais em que pudemos discutir  os vários temas propostos e também aprender novas ferramentas midiáticas para aplicar com os alunos. A seguir um breve resumo das principais atividades desenvolvidas.
No primeiro módulo “Tecnologia na Sociedade, na Vida e na Escola”, a partir da leitura e reflexão sobre os assuntos lidos, os primeiros textos em duplas foram produzidos e publicados no blog do curso. Como atividade prática uma pesquisa sobre as tecnologias utilizadas nas escolas traçou um panorama a respeito da atual existência e utilização das TIC nas unidades escolares. Para apresentar os resultados da pesquisa foi utilizada o primeiro recurso online: o Google Docs.
Também neste primeiro módulo iniciamos o estudo sobre Mapas Conceituais e WebQuests que foram aprofundados no módulo seguinte.
Além dos estudos a distância cada módulo teve também como atividade online a participação nos Fóruns de Discussão. Os fóruns ofereceram uma oportunidade a mais de troca de ideias e interação entre os cursistas.
No módulo 2 “Internet, Hipertexto e Hipermídia” estes conceitos foram estudados e também vivenciados. Os blogs/portfólios dos cursistas foram criados durante o encontro presencial e começaram a ser alimentados com os relatos de aplicação das atividades desenvolvidas nas escolas utilizando os Mapas Conceituais e as WebQuests. Estas metodologias permitiram aos professores exercitarem a autoria e o planejamento de atividades desafiadoras para seus alunos além de vivenciarem a aplicação da teoria em sala de aula. As impressões sobre estas experiências fazem parte dos registros nos portfólios.
Durante o terceiro módulo “Currículo, Projetos e Tecnologias” pudemos aprofundar a reflexão sobre práticas de integração de tecnologias ao currículo.  A partir da leitura do texto “Os desafios da linguagem do século XXI para a aprendizagem na escola” de Pedro Demo, os professores elaboraram um hipertexto e puderam expor suas ideias  através de palavras, imagens, vídeos, apresentações e hiperlinks.
O último módulo do curso “Prática Pedagógica e Mídias Digitais”  permitiu analisar e experimentar algumas possibilidades de incorporar esses meios ao trabalho pedagógico através da criação de jogos digitais e a produção de atividades online utilizando o formulário do Google Docs aliado a vídeos do YouTube.
No Fórum de Discussão os alunos analisaram o panorama de uso das mídias nas escolas e  discutiram a respeito de suas possibilidades como aliadas ao processo de ensino e aprendizagem.
Não posso deixar de ressaltar aqui o empenho e a dedicação dos professores que participaram ativamente do curso com muito comprometimento colocando em prática, na escola, alguns dos recursos estudados. Tenho certeza de que muito mais ainda será desenvolvido com os alunos a partir destas vivências. Mais importante do que o que foi realizado é o que ainda será desenvolvido. Como uma cortina que se abre, o curso revelou várias possibilidades de uso das mídias e tecnologias na educação, provocando a reflexão e a inquietação. Saber do que é possível fazer é o primero passo para que se queira fazer!
Deixo registrado aqui meu agradecimento à Secretaria de Educação que me permitiu a convivência e aprendizagem como tutora deste grupo de pessoas tão especiais, professores que querem e que sabem que podem fazer a diferença na vida de seus alunos.
Obrigada, professores, sentirei saudades de todos, mas continuarei acompanhando o belíssimo trabalho de vocês através dos seus portfólios:
Turma do matutino
Turma do vespertino
Como última atividade proponho uma avaliação dos professores cursistas utilizando o sistema de comentários considerando aspectos como: formato do curso, você como aluno de EAD, conteúdos teóricos e organização modular, atividades a distância, encontros presenciais, aplicação prática com os alunos, conhecimentos construídos, dificuldades encontradas, obstáculos vencidos, atuação da tutoria, material do curso e o ambiente EAD.
Um grande abraço e obrigada a todos pela companhia durante estes quatro meses. Sucesso!

45 Comentários

Arquivado em educação, ferramentas, internet, mídias, professor, tecnologias, vídeo

Primeira semana mundial de educação aberta

       fonte:http://www.saylor.org/site/wp-content/uploads/2012/02/OEW-Banner.jpg
 

Esforços para expandir o acesso à educação e ao conhecimento reunidos num evento global.

O OpenCourseWare Consortium anuncia a Primeira Semana Mundial da Educação Aberta, de 5 a 10 de março de 2012. A Semana Mundial da Educação Aberta (Open Education Week) é um evento anual e global que objetiva à conscientização no que diz respeito aos benefícios do compartilhamento livre e aberto na educação e, em particular, em relação aos Recursos Educacionais Abertos (REA). Recursos Educacionais Abertos são materiais educacionais de alta qualidade, distribuídos de forma aberta e livre de custos e que oferecem a pessoas de qualquer parte do mundo a oportunidade de compartilhá-los, utilizá-los, adaptá-los, traduzi-los e reutilizá-los.

“A visão do movimento da educação aberta é a de criar um mundo em que o desejo de aprender seja plenamente realizável através da oportunidade de assim o fazer, de modo que qualquer pessoa em qualquer lugar possa ter acesso a oportunidades adequadas sob o ponto de vista educacional, cultural e financeiro que lhes proporcionem obter os conhecimentos que desejem. O movimento engloba a produção, compartilhamento, utilização e modificação de conteúdos, bem como modelos educacionais inovadores”, disse Mary Lou Forward, Diretora Executiva do OpenCourseWare Consortium. “A Semana Mundial da Educação Aberta exibirá projetos, recursos, pessoas e ideias para que pessoas de todo o mundo possam ver a extensão de tudo o que já foi realizado até agora e participar das discussões acerca do futuro do movimento”.

A Semana Mundial da Educação Aberta está sendo coordenada pelo OpenCourseWare Consortium. O evento acontecerá online e em diferentes lugares do mundo, com oportunidades de participação em webinars, discussões e eventos ao vivo. Os projetos e eventos serão apresentados por instituições e organizações do mundo todo, tais como: University of Cape Town, University of Michigan, Universidad Politécnica de Madrid, University of Califórnia, Irvine, Delft University of Technology, Unisul, and Creative Commons.

O Projeto REA Brasil participará em dose dupla, com intervenções de Carolina Rossini e Débora Sebriam, nos dias 07 e 08/03.

 

 

Fonte: Site oficial do REA Brasil.

1 comentário

Arquivado em educação, professor, software livre, tecnologias

Educaparty – uma experiência inesquecível durante a CampusParty

Entre os dias 07 e 10 de fevereiro, no Anhembi, SP, tive a felicidade de participar da primeira edição da #Educaparty, evento direcionado à educação, dentro da Campus Party, que é “o maior acontecimento de tecnologias, inovação, entretenimento digital, ciência e cultura digital do mundo.”

Realizado pela Fundação Telefônica com a parceria do Instituto Educadigital, o evento reuniu quase 300 convidados, dentre eles, educadores inovadores, líderes digitais e especialistas da área de Educação e Tecnologia que participaram de uma jornada de aprendizagem especialmente preparada para oferecer inúmeras atividades como palestras, debates e oficinas que nos proporcionaram uma verdadeira imersão nas mais diversas tecnologias que podem e devem estar aliadas à educação.

No dia 07, às 14h, fomos recebidos pela equipe do Instituto Educadigital e Instituto Tellus, no hotel Holiday Inn onde ficamos todos hospedados, e participamos a primeira atividade que foi uma dinâmica de integração tendo como princípio a cocriação. Nesta atividade pudemos interagir com o grupo e refletir sobre o que gostaríamos de aprender durante a Educaparty, já nos preparando para a semana de intensas atividades que se seguiram.

Tivemos também a presença da professora Léa Fagundes neste encontro e ainda uma conversa bastante descontraída com o pesquisador indiano Sugata Mitra, professor de Tecnologia Educacional da Newcastle University e convidado especial para abrir a EducaParty. Nesta conversa Sugata Mitra fez algumas reflexões sobre como as crianças aprendem umas com as outras e como a escola, muitas vezes, inibe este processo natural de aprendizagem através de seu modelo industrial de transmissão de conteúdos. Para exemplificar, solicitou aos participantes que dessem exemplos de conteúdos que ministrariam no dia seguinte e fez considerações sobre como compartilhar com os alunos a responsabilidade pela busca de conhecimento, deixando que os alunos sejam efetivamente protagonistas no desenvolvimento de sua aprendizagem. Ainda no mesmo dia, à noite, assistimos à palestra de Sugata Mitra no palco principal da Campus Party com grande público.  Suas ideias convidam o professor a repensar seu papel na escola propondo uma parceria com os alunos para juntos aprenderem mais e melhor.

Os dias passaram rápido, muitas vezes, gostaria de estar em três ou quatro lugares ao mesmo tempo. Enquanto acompanhava um debate e twittava destacando as principais ideais, também lia os posts dos colegas que twittavam sobre outro debate que acontecia mais adiante e sobre um assunto também imperdível. Como administrar tanta informação? A vida é feita de escolhas. Então era preciso escolher.  O bom é que os debates ainda podem ser vistos pelo Campus Channnel.

 Como disse o colega Sérgio Lima, que foi um dos “desvirtualizados” (termo que passamos a usar para nos referirmos a quem já conhecíamos e/ou interagíamos em rede e que finalmente conhecemos pessoalmente), só quem esteve lá sabe o que viveu. É impossível descrever a emoção destes encontros e dos reencontros, o carinho e a acolhida da equipe que preparou nos mínimos detalhes esta jornada de aprendizagem da qual participamos.

O próximo post será dedicado aos encontros, reencontros e novos amigos. 😉

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desafios da Educação, Desenvolvimento Econômico e Concurso Hackathon. Veja um resumo do segundo dia da Campus Party Brasil 2012. #cpbr5 #vivonacampus

1 comentário

Arquivado em internet, mídias, professor, software livre, tecnologias

Interdidática II

Como prometido aí estão algumas fotos do Congresso Interdidática. Foram momentos inesquecíveis ao lado de pessoas maravilhosas.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

more about “Interdidática“, posted with vodpod

 

Saiba mais sobre o Congresso no blog oficial.

7 Comentários

Arquivado em Notícias